Início » Uncategorized » A câmera de McCullin nos leva para o meio dos horrores

A câmera de McCullin nos leva para o meio dos horrores

“É uma daquelas histórias empolgantes. É um documentário a que se assiste com a respiração acelerada. Para jornalistas, então, é irresistível.”

Dom McCullin/ReproduçãoRobert Capa costumava dizer que se a foto não mostrava qualidade é porque o fotógrafo não tinha chegado perto como deveria. Ele seguiu este princípio por toda a vida. Desembarcou com os aliados na Normandia, esteve na Guerra Civil espanhola, acompanhou John Steinbeck em uma viagem histórica à então fechada União Soviética, mostrou dramas e celebridades. Chegou sempre tão perto que acabou pisando em uma mina, na Guerra da Indochina, dia 25 de aio de 1954. Tinha apenas 41 anos. O britânico Donald McCullin seguiu esta cartilha ao longo da carreira – e sua vida e obra estão mostrados, com absoluta competência pelos diretores David Morris e Jacqui Morris, no documentário McCullin (para quem tem Netflix, é só buscar pelo nome).

É uma daquelas histórias empolgantes. É um documentário a que se assiste com a respiração acelerada. Para jornalistas, então, é irresistível.

aaniPara cumprir aquele mandamento defendido por Capra e…

Ver o post original 332 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: